All Posts by Sara Isabel

About the Author

Ilustração e copywriting. Fundadora do Projetos Digitais. Trabalho online desde 2014 e, desde então, já vivi em três cidades portuguesas diferentes.

Jan 18

Como escolher o domínio do seu blog?

By Sara Isabel | Dicas Online

Como escolher o domínio do seu blog

Registar um domínio é um passo fundamental para o seu blog, uma vez que é a marca com que será representado.

O nome é importante para qualquer identidade on-line e é ainda mais importante quando falamos em URL. Imagine que um possível leitor quer chegar ao seu blog: lembrar-se do nome e consequente URL é essencial. Sendo assim, o seu nome deve ser fácil de lembrar e, ainda, fácil de digitar.

Aviso: Este artigo contém links de afiliados para produtos recomendados de acordo com a experiência de uso. Apenas recomendamos o que gostamos! A compra de produtos ou serviços pelos links de afiliados não ficará mais caro.

Se não seguir o caminho que facilita o seu leitor, irá perder visitantes e tráfego para o seu blog. Um registo com sucesso não significa ir a uma empresa que vende domínios e comprar qualquer coisa que seja .com ou .pt; é mais que isso! Deve fazer várias pesquisas antes de escolher o nome final do domínio.

Sabemos a complexidade que é essa escolha, portanto vamos ajudá-lo na decisão final. No final deste conteúdo terá tudo o que precisa para, finalmente, começar a investir no seu blog.

7 dicas rápidas para escolher o nome de domínio

1. Escolha um nome fácil de escrever e memorizar

A primeira dica a ter em conta é que deve escolher um nome de domínio que seja fácil de memorizar e escrever. Esse nome não deve ser confuso ou criar dúvidas no leitor e, ao mesmo tempo, deve descrever todo o seu projeto.

Por exemplo, o nosso blog pretende ajudar os seus leitores a criar blogs e a fazê-los crescer, portanto somos o seu kit completo para criar blogs; o nosso nome é Kit Criar Blogs.

Além disso não vai querer que o domínio seja muito grande porque as pessoas não se lembram dos nomes grandes. Deve ser simples, rápido, direto e memorável.

Uma forma de conseguir este nome é fazendo uma listagem de nomes que o fazem lembrar do seu projeto. Com essa lista fica muito mais simples conseguir escolher o nome final.

2. O nome deve ser exclusivo para o seu projeto

Não confunda o seu leitor com nomes que já foram usados anteriormente em outros projetos. O nome do domínio deve ser exclusivo e não igual aos tradicionais.

Caso fiquem dúvidas quanto a esta necessidade, vamos imaginar que você cria uma rede social com o nome ‘Faceback’. Provavelmente a rede social vai ser esquecida, pois todos se vão lembrar apenas do ‘Facebook’.

Se, por outro lado, o nome da sua rede social for totalmente diferente, as pessoas vão lembrar-se da mesma como a rede social que se destaca devido a determinada caraterística e nada relacionada ao Facebook. Aí sim, os utilizadores vão querer experimentar a sua rede social.

3. Geradores de domínios são excelentes opções

Caso esteja com dificuldade em escolher o nome para o seu projeto, pode usar alguns dos geradores de nomes disponíveis no mercado.

O seu uso é excelente porque pode dar-lhe o nome perfeito que tem procurado ou porque pode inspirá-lo a ter o nome perfeito. Em qualquer um dos casos, vale a pena experimentar a ferramenta.

Algumas opções disponíveis no mercado são o Domainsbot, o Namemesh e o Domainr. Aconselhamo-lo a fazer uma lista com as opções dos geradores e, mais tarde, rever essa lista e escolher a melhor opção.

4. Ao comprar o seu domínio, escolha marcas de confiança

Existem diversas empresas disponíveis no mercado para venda de domínios e hospedagem, portanto antes da compra deve fazer um estudo às opções disponíveis e escolher a que melhor se adequa a si.

Na procura, não deixe que o preço influencie toda a escolha. Estude o que a empresa tem para oferecer, qual a opinião de consumidores e ex-consumidores, se estão há muito ou pouco tempo no mercado, entre outros fatores. Lembrando que mesmo que a empresa escolhida seja nova ou pequena, pode ser uma excelente opção, desde que seja de confiança.

Outra dica: não escolha uma empresa que pode ir à falência num ano com o seu domínio no servidor. Lembre-se, os domínios são mais difíceis de mudar do que as contas de alojamento e, portanto, é aconselhável que escolha uma empresa que vende domínios que “durem uma vida”.

Caso queira saber onde comprar o seu domínio, leia este conteúdo que refere algumas das possibilidades disponíveis no mercado.

Dica: Escolha uma empresa que venda domínios que duram "uma vida".

5. Escolha o tipo de domínio que realmente combina com a sua marca

Escolha o tipo de domínio exato que combine com a sua marca. Anteriormente, todas as pessoas escolhiam um domínio .com.

Mas o mundo mudou e agora há muitas opções, incluindo .pt, .org, .digital, .net, .tv e muitas mais. Por isso deve escolher sempre aquela que mais se adapta ao seu blog.

Se for uma organização, não deve escolher um domínio .com, mas, se por outro lado, se tratar de um blog, deverá manter sempre o .com que é conhecido como a melhor solução para as marcas. Se for uma empresa portuguesa que atue em Portugal, o .pt é uma excelente opção.

Como escolher o domínio do seu blog

6. Após a escolha, certifique-se que o nome está disponível nos canais

Assim que escolher o seu domínio, deve certificar-se que o mesmo está disponível para compra e que o nome escolhido também está disponível para criar uma página no Facebook ou uma conta no Instagram.

A realidade é que não faltam projetos que têm nomes diferentes em diferentes canais, tudo por falta de disponibilidade. No entanto a consistência é excelente para não confundir o seu leitor e não dificultar a procura pela sua marca.

7. Em caso de dúvida, pode questionar amigos ou familiares

Ao escolher o nome, caso não tenha a certeza se é uma boa opção, pode pedir a opinião de amigos e familiares. Questione se o nome descreve o seu projeto e se é memorável.

Caso estes não considerem o nome adequado, pode pedir a opinião relativamente às restantes opções da sua lista. Quem sabe os seus amigos ou familiares gostem de um nome que riscou inicialmente ou tenham uma ideia mais criativa com base nos que mostrou.

No entanto, lembre-se, a palavra final é sua: se se identificar com um dos nomes, use-o!

Deve registar o seu domínio na mesma empresa de alojamento?

As opiniões quanto a esta pergunta variam muito, mas a nossa opinião é não registar na mesma empresa e vamos explicar o porquê.

Imagine que encontra uma empresa que lhe oferece mais benefícios do que aqueles que tem atualmente. Ao mudar, o fornecedor atual pode reclamar o seu nome de domínio. Para ser mais seguro, utilize diferentes empresas: uma para registar o seu domínio e outra para alojar o seu blog.

Eu utilizo o site Namecheap para registar domínios e o SiteGround para alojar o meu blog e posso confimar que recebo bons serviços pelo que pago.

Conclusão

Lembre-se que o domínio é a primeira identidade da sua marca. Um blog é definitivamente uma marca pura e o nome do domínio desempenha um papel vital em garantir que o blog tenha sucesso.

Se olhar ao seu redor, não vai encontrar nenhum blog de sucesso com um mau nome de domínio. Por isso certifique-se que o nome lhe permite levar a sua marca ao sucesso pelo canal correto.


Sinta-se à vontade para deixar um comentário ou fazer qualquer pergunta na caixa de comentários abaixo que eu irei responder assim que me for possível.

Dez 18

Imagens para Publicar no Seu Blog

By Sara Isabel | Dicas Online

Imagens para Publicar no Seu Blog

Uma imagem vale mais do que mil palavras! Todos já ouvimos essa afirmação e não é por acaso: é porque é mesmo verdade!

Aviso: Este artigo contém links de afiliados para produtos recomendados de acordo com a experiência de uso. Apenas recomendamos o que gostamos! A compra de produtos ou serviços pelos links de afiliados não ficará mais caro.

A caça por uma boa imagem para ilustrar o conteúdo escrito é uma das aventuras mais difíceis de um blogger ou webmaker; isto porque existem diversos aspetos que devem ser tidos em conta.

Caso você seja uma das pessoas que necessita ter este conhecimento, seguem-se algumas dicas de como usar as imagens para potencializar o seu conteúdo e informações úteis sobre como encontrar as imagens perfeitas.

Porquê usar imagens para produzir engajamento social?

As imagens refletem o conteúdo escrito. Devem estar ligadas de forma íntima ao conteúdo. Se assim for, o leitor irá sentir-se mais próximo do conteúdo e querer partilhá-lo com os seus contactos.

“Mas um bom conteúdo, só por si, merece ser partilhado”, diz você. O problema é que partilhar texto, letras ou palavras é, hoje, pouco relevante. No meio de tanto conteúdo escrito é preciso convencer as pessoas que o nosso conteúdo é realmente importante e a imagem que o acompanha é a chave para isso.

Nos dias de hoje as redes sociais partilham conteúdo com imagem, visto que atraí muito mais leitores e dinamiza a rede social em questão. Se o seu conteúdo for partilhado na forma de imagem nas redes sociais, também esse pode destacar-se e merecer a partilha dos seus fãs.

Claro que apesar das imagens serem importantes, não deve descuidar no conteúdo. Isto porque se a sua marca estiver associada a boas imagens mas a péssimos conteúdos, não será bom.

As regras para o uso de fotos da Web: as regras para o uso de imagens em blogs

Todos sabemos que copiar literalmente um texto é plágio e pode ser punível por lei. Mas muitas pessoas não sabem que usar imagens sem expressa autorização do autor também é crime. As imagens e produções gráficas estão protegidas pelos mesmos direitos de autor que o texto.

Mas a boa notícia é que existem milhões de fotografias e gráficos que podem ser usados livremente. É sobre esse uso livre que vamos falar de seguida.

Tipos de licenças de proteção de imagens

Existem diferentes tipos de licenças de proteção de imagens, estando sempre indicadas na legenda ou na tag ALT da imagem – mais abaixo iremos explicar do que se trata esta tag. As mais usuais nas imagens é a licença “All Rights Reserved” (tradução: todos os direitos reservados) e a licença “Creative Commons By” (com a qual é preciso dar crédito ao autor).

No entanto, o procedimento de uso de uma imagem é o mesmo do que no uso de um texto: procure pelo tipo de licença de proteção da imagem e se não constar essa informação, não use a imagem sem antes contactar o autor.

“Procure pelo tipo de licença de proteção da imagem e se não constar essa informação, não use a imagem sem antes contactar o autor..” – Kit Criar Blogs

Sites onde encontrar imagens: gratuitos ou pagos?

Existem diferentes sites de bancos de imagens, uns grátis, outros pagos. Existem, claro, diferenças entre um tipo de site e outro: a quantidade de imagens é muito maior nos sites pagos; as fotografias e gráficos são de maior qualidade nos pagos, o que pode aumentar de forma importante o engajamento provocado pelas mesmas e a procura por uma imagem é muito mais eficaz e rápida nos sites pagos.

No entanto, se inicialmente o seu budget não for grande, os sites gratuitos são uma excelente forma de encontrar boas imagens.

Algumas referências:

O Google Images e o Photobucket podem ser excelentes fontes para encontrar imagens, mas mesmo que se preocupe em procurar a licença no site de origem das mesmas, corre o sério risco de cair num site que usa de forma secundária a imagem em questão. Não corra o risco de usar uma imagem sem respeitar a verdadeira vontade do autor original e use bancos de imagens de confiança como os acima referidos.

Dicas sobre imagens para inserir nos seus artigos

Escolher a imagem mais adequada ao seu conteúdo escrito é importante, mas após essa escolha, torna-se essencial ter algumas dicas em atenção, principalmente no momento de publicação dessas mesmas imagens.

Resumindo, essa publicação com base nas dicas abaixo por um lado será melhor para o google referenciar melhor e de forma correta as imagens, por outro para oferecer ao seu leitor a melhor visualização possível das mesmas.

Juntando estes dois resultados conseguirá que o seu blog ou website atraia leitores de forma orgânica, mas também que mantenha os mesmos dentro do seu website. Ou seja, a combinação perfeita.

Renomear e redimensionar suas imagens antes de enviá-las para o blog

O nome da imagem no blog é o nome da imagem tal e qual aparece no seu computador, o que quer dizer que se enviar para o seu wordpress uma imagem que tem como nome “img22222.jpg” a imagem será nomeada pelo seu wordpress como sendo “img22222”, resultando como nota negativa para o google por significar nenhum referenciamento.

Sendo assim, prefira renomear a sua imagem com um nome útil e preciso antes de a enviar para o seu wordpress. O ideal seria nomear a imagem com a palavra-chave escolhida para o seu conteúdo ou, se preferir, com o próprio título do artigo.

O segundo erro comum aquando o envio de imagens para o blog é descarregar imagens demasiado grandes. Mesmo que depois o tamanho possa ser modificado diretamente no wordpress, a imagem descarregada inicialmente terá sido sempre grande. É importante redimensionar as imagens ANTES de as enviar por duas grandes razões: imagens demasiado grandes reduzem a rapidez do seu site e se modificar o tamanho da imagem unicamente depois, através do painel de controlo do wordpress, um ficheiro extra será adicionado ao seu servidor para essa imagem… mas a imagem inicial ficará lá sempre a pesar no sistema.

Imagens para Publicar no Seu Blog

Use a tag ALT

O texto alternativo de uma imagem é um pequeno texto que podemos adicionar às imagens e que o Google é capaz de ler. Os seus leitores não irão ver este texto, pois este será adicionado diretamente ao código da imagem, mas é muito útil para referenciar as imagens no portal da Google.

Não passe ao lado do potencial desta opção facilmente adicionável através do painel do wordpress. Adicione a palavra-chave escolhida para o artigo neste campo e veja a sua imagem a ser encontrada pelos motores de busca.

Para que haja um benefício real, a sua imagem precisa destacar-se na imensidão existente no Google Images. Mas como? Simples! Se possível use fotografias próprias e uma edição excelente para que seja impossível de ignorar por parte dos possíveis leitores.

Conclusão

Já sabe a razão pela qual as imagens são importantes, quais as regras para uso das mesmas e algumas dicas para as adicionar nos seus conteúdos. Mas além disso, de forma resumida, existem três regras de ouro para ter em conta antes de adicionar imagens ao seu website ou blog. As imagens devem:

  1. Ser de alta qualidade
  2. Relevantes ao seu conteúdo
  3. Utilizadas legalmente

Finalmente, espero ter sido capaz de guiá-lo através do porquê, onde e como utilizar imagens de qualidade no seu blog. Além disso, gostaria muito de ouvir qual é o site que prefere para encontrar as suas imagens e porquê.

Nov 18

Como encontrar ideias para artigos a cada momento?

By Sara Isabel | Dicas Online

Como encontrar ideias para artigos a cada momento?

Antes de pensar em escrever os seus posts, de apostar na divulgação em redes sociais e comunicar diretamente com os seus leitores, tem de encontrar os temas e ideias para escrever esses mesmos artigos.

Aviso: Este artigo contém links de afiliados para produtos recomendados de acordo com a experiência de uso. Apenas recomendamos o que gostamos! A compra de produtos ou serviços pelos links de afiliados não ficará mais caro.

É importante, nesta fase, perceber como é que pode encontrar ideias para artigos futuros do seu blog.

É muito fácil começar um blog, mas quando se trata de encontrar ideias para os conteúdos, a história fica completamente diferente! Neste artigo vamos-lhe explicar como pode encontrar ideias bem facilmente e a momentos bem inesperados!

Antes de passarmos para o verdadeiro conteúdo, vamos deixar-lhe uma dica: crie um documento onde pode armazenar novas ideias assim que elas surgem. No futuro, quando necessitar de novos conteúdos, pode dar uma vista de olhos neste seu “armazenamento”.

7 formas de encontrar ideias para conteúdos

1. Encontre ideias para conteúdos em blogs

É importante ler outros blogs e sites que estão dentro do seu nicho, não só para encontrar ideias para artigos, mas também para estar atento à concorrência. Se um concorrente escrever um conteúdo sobre um determinado tema que nunca pensou, faça o investimento e publique o conteúdo na área também; não fique para trás!

Pode também aproveitar os outros blogs para ler os comentários e perceber quais são as maiores dúvidas dos leitores – ou temas nos quais os mesmos tenham interesse. Dessa forma pode criar conteúdo que responda a essas questões e, futuramente, ser encontrado por essas mesmas respostas – que a concorrência pode, ou não, responder.

Portanto sim, estudar a concorrência faz parte de ser criador de conteúdos ou blogger; tire tempo para estudar esses concorrentes, refresque as suas ideias e consiga um grande volume de novos conteúdos com alguma frequência.

2. Veja sites agregadores de notícias e artigos

O site about.com é um excelente exemplo de um site que agrega diferentes notícias e artigos de opinião; esses conteúdos são excelentes para o inspirar e para o ajudar a encontrar ideias para novos conteúdos.

Outra hipótese é usar o Google Chrome no seu smartphone. Essa aplicação tende a agregar as últimas notícias e a criar um feed do seu interesse, ajudando-o a manter-se atualizado na sua área, mas também a ter novas ideias.

Novamente: uma forma de encontrar ideias para artigos é precisamente estar atento ao que outros escrevem. Não hesite em visitar outros sites, mesmo de notícias, para se inspirar.

3. Lembre-se que as ideias não têm de vir, apenas, de conteúdos na área

Os conteúdos podem, realmente, vir de conteúdos na sua área de atuação, mas podem vir de conteúdos em outras áreas também. Podem vir de uma obra de arte que tem um conceito que pode ser transmitido em palavras e dentro do seu tema.

Portanto mantenha-se atento não só na sua área, como referido acima, mas também em outras áreas e em outras formas de comunicação. E, claro, sempre que tiver uma ideia, mesmo que visual, adicione ao seu documento para inspiração futura.

4. Quais são os interesses das pessoas? O que é que procuram na web?

Estar atento às tendências e aos temas mais pesquisados pelas pessoas é uma forma de inspiração, mas também de otimização do seu site. Pode ter informação sobre essas tendências e pesquisas através de ferramentas próprias.

Uma das ferramentas para perceber quais são os temas mais procurados na internet é o Google Trends – excelente para descobrir quais são as tendência do mercado e como variam consoante o momento do ano.

Outra ferramenta é o planeador de palavras-chave do Google que não tem em conta as tendências, mas sim a pesquisa por termos concretos. Por exemplo, com o apoio desta ferramenta, é possível saber quantas pessoas pesquisam o termo “ideias de conteúdos” em Portugal. Se o volume for elevado, pode ser produzido o conteúdo no tema.

Conhecer mais sobre o seu público, nomeadamente analisar o estilo de vida das pessoas, os seus interesses e pesquisas, vai permitir que crie posts e artigos mais segmentados e que têm grande potencial de não só serem partilhados, como também em aparecer nos primeiros lugares dos resultados do Google.

Dica: Uma das ferramentas para perceber quais são os temas mais procurados na internet é o Google Trends.

5. Revistas e Magazines: uma fonte de informação única

Mesmo que não escreva sobre lifestyle, não deixe de visitar sites de magazines e revistas online – ou mesmo as suas versões físicas. Sites como o Sapo, o Observador ou, a um nível mais mundial, a Harper's Magazine, são fontes de informação de interesse geral.

Neste tipo de sites pode encontrar ideias para artigos em categorias tão diversas como moda, culinária, vida familiar e crianças, temas juvenis, criatividade, arte, saúde, atualidade, desporto ou cultura.

Tendo em menta as versões físicas, uma forma de se inspirar e encontrar ideias para artigos a cada momento é, durante as suas compras ou passeio, passar por uma banca de jornais e revistas e analisar tudo à sua volta: certamente será uma fonte de temas e irá inspirá-lo para escrever o seu próprio post! Claro que se preferir, pode adquirir as revistas e analisar mais em pormenor em casa.

Por vezes só os títulos não dão novas ideias, mas o próprio conteúdo pode dar. Leia um conteúdo e, se tiver alguma dúvida, aponte-a; se estiver na sua área e você teve dúvidas, certamente os seus leitores também as vão ter.

6. Grupos de redes sociais

Por último, tem-se os grupos em redes sociais como o Facebook. Estes grupos não servem só para divulgar os seus conteúdos, mas também para comunicar e conversar com potenciais leitores da sua área.

Aliás, se os grupos estiverem associados a áreas específicas, analise os comentários e postagens na rede social, pode encontrar muita informação relevante e ideias para novos conteúdos.

Os grupos também irão mostrar-lhe quais são as principais dúvidas que pairam no ar – e às quais pode aproveitar para responder no seu próximo post –, quais são as tendências mais faladas e pesquisadas ou até aceder a outros blogs que o inspiram.

Uma boa técnica não só para encontrar ideias para artigos mas também para impulsionar o tráfego do seu blog, é ficar a saber sobre o que falam a maioria das pessoas nos grupos do Facebook e, quando conseguir escrever um post a responder ou a falar sobre esse assunto, partilhar o link com essas mesmas pessoas.

Como encontrar ideias para artigos a cada momento?

7. Apenas mantenha-se atento

A uma conversa com um amigo, uma frase ou palavra num livro que começou a ler, uma citação que lhe surgiu ou que foi mencionada num curso que está a fazer, à informação encontra num folheto que estava no café, a uma peça de teatro, num passeio a pé ao final do dia; qualquer coisa!

As ideias estão à sua espera em sítios inesperados, portanto apenas mantenha-se atento. E, claro, se possível, tenha consigo um bloco ou um documento no seu smartphone para que, assim que a ideia surja, possa anotá-lo e não a perder.

Conclusão

Neste artigo comentamos 7 dicas para encontrar ideias para artigos a qualquer momento e de forma muito fácil. Nunca mais deixe o seu blog sem novos conteúdos por culpa da falta de inspiração!

Concluindo, e dando uma última dica, antes de começar um blog, faça uma lista de, no mínimo, 50 ideias de conteúdo para adicionar ao mesmo. A partir daí, sempre que tiver novas ideias, adicione ao documento criado para essa finalidade.

Out 18

Truques fáceis para ajudar a escrever posts cativantes

By Sara Isabel | Dicas Online

Truques fáceis para ajudar a escrever posts cativantes

Cativar o leitor é uma das maiores dificuldades de um blogger ou redator. Com tantas notícias, blogs, sites, informação e distrações, conseguir fazer com que o leitor fique na nossa página a ler o nosso post não é tarefa fácil!

Aviso: Este artigo contém links de afiliados para produtos recomendados de acordo com a experiência de uso. Apenas recomendamos o que gostamos! A compra de produtos ou serviços pelos links de afiliados não ficará mais caro.

Com a prática da escrita, é possível chegar a uma fórmula de sucesso para criar posts que cativem o leitor, mas é algo que precisa de tempo e de esforço. Não pode apenas escrever e esperar resultados, deve analisar cada peça de conteúdo. Só assim conseguirá encontrar essa fórmula.

Para sua sorte, aqui no Kit Criar Blogs já temos alguma experiência e revelamos algumas dicas para facilitar a criação de posts que agarrem desde a primeira palavra – e influenciem o seu leitor a ficar!

Vale a pena escrever sobre notícias?

Sim! Escrever posts sobre a atualidade ou sobre conteúdo noticioso pode ser uma excelente arma para conquistar leitores e fazê-los ficar no seu blog mais tempo. Escrever posts sobre a atualidade não significa necessariamente escrever um post jornalístico ou de informação: significa sim, transmitir o que de importante acontece na sociedade, interligando esse acontecimento com o nicho do seu blog.

Escolha temas da atualidade que sabe que interessam realmente o seu leitor e aproveite para não só noticiar como ensinar!

Um excelente exemplo pode ser visto quando é lançada uma aplicação ou ferramenta que tem uma visibilidade enorme. Pode falar desses lançamentos intercalando essa notícia com a importância que tal aplicação tem para o seu leitor e público.

Sendo assim, uma das dicas que temos para lhe dar, é estar sempre a par de todas as tendências e das últimas novidades.

Comece o seu post com storytelling

O storytelling é uma das técnicas mais eficientes para conquistar leitores na blogosfera e na internet no geral.

Esta técnica que tem sido muito comentada nos últimos anos consiste em escrever um post como se de uma história se tratasse. Isto permite que o seu leitor esteja a ler e se envolva gradualmente no assunto e tópico do post, sem ter que pensar ou analisar o mesmo como se fosse um post informativo ou instrutivo.

Pode também utilizar histórias conhecidas ou de referência, como contos populares, para envolver o seu leitor com algo que ele já conhece.

Outra forma de usar o storytelling é agarrando numa dor que incomoda o seu público-alvo e escrever sobre ela – caso tenha conhecimento ou já tenha passado pela mesma. Se conseguir fazer um conteúdo que transmita, exatamente, a dor do seu público, acredite, vai ganhar leitores.

Elabore um título magnético

O título é uma das coisas que faz com que o seu leitor continue a ler… ou pelo menos comece!

Um título que seja magnético faz precisamente isso: magnetiza o leitor a clicar e cria nele um desejo e necessidade de ler o post. Pense nos títulos que tem por hábito clicar e ler e siga esses exemplos. Uma boa técnica de aprendizagem e “análise de mercado” é ver o tipo de título dos artigos mais partilhados nas redes sociais.

Aconselhamo-lo a ter um documento com diferentes títulos que chamaram a sua atenção e, quando criar um conteúdo, entre na sua biblioteca de títulos e escolha um que se adeque. Sempre que encontrar algo chamativo num anúncio, acrescente também à sua lista. Esta será a sua biblioteca criativa.

“Não tenha medo da perfeição - nunca irá alcançá-la.” – Salvador Dalí

Sub-títulos: use e abuse sem moderação

Os sub-títulos devem ser utilizados nos seus posts para os tornar mais cativantes.

Uma organização clara por parágrafos e sub-títulos dentro do título principal faz que o seu leitor perceba rapidamente, ao primeiro olhar, que tipo de assunto trata o post e se tal o interessa. Este tipo de organização faz também com que o post pareça mais curto do que aquilo que ele realmente é, o que é uma vantagem.

A divisão do conteúdo por sub-títulos (H1, H2, H3) também será uma excelente ajuda para melhorar a estrutura dos seus posts e, consequentemente, ser encontrado pelo Google.

Se considerar relevante, adicione a estrutura do seu post no início do conteúdo, com links para os locais onde se encontram na página. Desta forma irá melhorar a experiência do usuário, permitindo-lhe navegar, diretamente, para o assunto que lhe interessa.

Dê o melhor conteúdo que pode ser encontrado na internet!

Não se sente e apenas escreva um conteúdo, muito pelo contrário, faça um estudo primeiro de modo a oferecer o melhor conteúdo que pode ser encontrado na internet! Como pode fazer isto? É simples.

Comece por escolher o tema sobre o qual vai escrever e a palavra-chave associada – palavra essa que pode ser encontrada no Google Keyword Planner e que deve ter um alto volume de pesquisas e uma competição baixa.

Escolhida a palavra-chave, pesquise-a no Google e abra os 10 primeiros resultados. Leia o conteúdo desses resultados e tire notas numa página do Word: veja quais os temas abordados, quais as dúvidas esclarecidas e quais os termos usados e que estejam em comum em vários resultados.

Por exemplo, imagine que vai escrever sobre um livro. Provavelmente alguns conteúdos terão apenas informações do livro e a opinião do leitor, outros terão excertos, outros terão uma biografia do próprio autor e outros informações oferecidas pelo escritor sobre o processo criativo. Provavelmente – exceto em raros casos – não terá um resultado com todas as informações.

Crie-o.

Além de ser excelente para o seu leitor, também será um bom conteúdo aos olhos do Google.

Seduza e use os sentimentos para cativar

Conte uma história sedutora e faça prova de humanidade durante o post, utilizando momentos de angústia, suspense e amor – tal como mencionamos no ponto do storytelling em relação às dores dos consumidores.

Com tanta automatização da informação, os leitores procuram cada vez mais posts e textos humanos, escritos por pessoas iguais a elas. Faça prova disso durante todo o texto que escrever, acabando por cativar assim o seu leitor. Dessa forma ele acabará por se identificar com mais facilidade consigo e com o seu blog.

Contar história pessoais que mostrem que você já passou por determinado obstáculo ou dor, regra geral, geram empatia e criam, automaticamente, interesse e ligação com o seu leitor.

Feche com estilo

Escreva uma conclusão não só para finalizar o tema mas também para fazer com que o seu leitor saiba precisamente o princípio, o meio e o fim. Esta organização segue a regra do storytelling e da construção de um post seguindo um modelo de história.

Escreva uma conclusão que finalize o tema e que permita ao seu leitor reter “a moral da história”, ou seja, uma conclusão que permita obter o conhecimento e informação central e principal do seu post.

Esta dica é ideal para ajudar leitores que perdem a atenção em conteúdos de mais de 500 palavras. Com uma conclusão, facilmente, eles terão um resumo de tudo o que aconteceu anteriormente no conteúdo.

Conclusão

Escrever um post de forma autêntica e cativante não é fácil, mas seguindo algumas dicas tal é possível.

Lembre-se que, como em tudo, quando mais posts escrever, mais agilidade vai ter em encontrar os títulos mais magnéticos e as histórias mais cativantes para envolver o seu leitor nos seus tópicos e objetivos editoriais.

Portanto já sabe, comece já a escrever e a praticar e aumente o sucesso do seu blog!