Set 18

Qual o comprimento ideal do seu post?

By Sara Isabel | Dicas Online

Qual o comprimento ideal do seu post

Chegou o momento de começar a escrever conteúdo para os seus leitores. Tem um tópico em mente, sabe muito bem quem faz parte do seu público e o que é que ele espera do seu blog e do seu conteúdo. Muitos consideram que isso é suficiente para escrever um bom post. Tem a mesma opinião?

Infelizmente não é.

Aviso: Este artigo contém links de afiliados para produtos recomendados de acordo com a experiência de uso. Apenas recomendamos o que gostamos! A compra de produtos ou serviços pelos links de afiliados não ficará mais caro.

Não é assim tão simples chegar ao post perfeito. Mais do que um bom tópico, boas palavras-chave e uma resposta clara a um problema do seu público, a verdade é que terá também de se preocupar com o comprimento do seu conteúdo.

Este é um dos temas que provoca grandes debates na blogosfera, mas cada vez mais tem-se chegado a um consenso.

Com base em todas as informações, afinal, qual será o comprimento ideal para um bom post? Os melhores conteúdos serão os mais longos ou os mais curtos? Existe alguma forma de saber, ao certo, o que o Google quer para um determinado conteúdo?

Nós temos a resposta para si.

Conquiste desde o início o seu leitor

Antes do leitor se preocupar com o comprimento do seu conteúdo, ele irá “escanear” o post. Isto é: irá dar uma vista de olhos geral. Essa vista de olhos irá recair, sobretudo, no título, nas primeiras linhas e nas imagens.

Portanto, sendo assim, a sua primeira preocupação deve ser conquistar o leitor desde o início. Ou seja, faça com que o mesmo leia as primeiras frases do seu conteúdo. Caso essas primeiras linhas despertem o interesse do leitor, ele vai ficar para o resto do conteúdo.

O comprimento tem muito a ver com o que procura com esse post

Quando produzimos uma peça de conteúdo – seja essa um post, outro material escrito ou, mesmo, visual –, temos expetativas e metas que queremos alcançar com a publicação do mesmo.

Por exemplo, uns querem aumentar o reconhecimento da marca – ou seja, aumentar o tráfego proveniente dos motores de busca, aumentar os likes e seguidores nas redes sociais, aumentar os subscritores na newsletter, entre outros –, outros querem fidelizar e educar o público – através do aumento da comunicação com o leitor, das partilhas nas redes sociais e, até mesmo, do aumento dos próprios leitores – e outros terão objetivos diferentes. O importante é que todas essas expetativas devem ser levadas em conta aquando da produção do conteúdo.

Um post educativo, por exemplo, tem como objetivo educar e trazer conhecimento ao seu leitor. Sendo assim, regra geral, será mais longo, pois o seu leitor procura ler e aprender sobre determinado tópico.

No entanto, se o seu objetivo passa por aumentar as partilhas nas redes sociais e o tráfego imediato e atual, é preferível que o seu post seja mais curto. O seu conteúdo será ligado a algo mais efémero e imediato; algo que deve proporcionar uma leitura rápida e imediata do leitor.

Já percebeu que no fundo não existe um comprimento ideal: tudo depende do seu objetivo, expetativa e público!

No entanto, o SEO tem algo a dizer…

As regras impostas pelos robôs dos motores de busca, também têm algo a dizer sobre o comprimento do seu conteúdo.

Mesmo que o conteúdo rico e útil seja o fator essencial e no qual se deve concentrar quando escreve um post, a verdade é que os motores de busca não gostam muito de conteúdos com menos de 300 palavras. Mesmo que possam ser recenseados pelos motores de busca, os posts de 300 palavras tendem, aos olhos do Google e companhia, ser pouco precisos e demasiado superficiais.

Evite, portanto, escrever conteúdos com menos de 300 palavras. Se quer otimizar ao máximo o seu conteúdo, prefira conteúdo mais longo.

Existe um truque para encontrar o tamanho perfeito para um determinado conteúdo aos olhos do Google: pode escrever o tema no campo de pesquisa e aceder ao primeiro, segundo e terceiro resultado. Qual o número de palavras nesses resultados? Se for 700 palavras, no mínimo, crie esse número de palavras para o seu conteúdo.

Escreva o que quiser para além de 300 palavras!

Não é bem assim! Novamente, a sua concentração deve ser sobretudo ligada à qualidade e pertinência do seu conteúdo. O comprimento do post deve respeitar o seu tópico e o seu leitor, evitando oferecer conteúdo irrelevante e descartável.

Qual o comprimento ideal do seu post

Não existindo um tamanho ideal para o conteúdo, a verdade é que cada vez mais se fazem estudos que, perante um post de mais de 2000 palavras, o leitor tende a desmotivar-se para a leitura. Claro que a desmotivação leva ao abandono do artigo e, provavelmente, à não continuação de permanência no website.

Conteúdo pequeno, normal ou educativo/longo

Tente escrever os seus conteúdos num software que permita a contagem de palavras. O Word (Microsoft) ou o Pages (Mac) são dois softwares básicos que permitem acompanhar a evolução do número de palavras.

Quando escreve um post, pense sobretudo no seu conteúdo. Quando acabar de escrever o seu post, sabendo que escreveu o melhor que pôde e desenvolveu o seu tópico de forma útil e pertinente, irá perceber que:

  • É difícil desenvolver um tópico num conteúdo de menos de 500 palavras, se pretende educar e transmitir conhecimento ao seu leitor;
  • Um conteúdo equilibrado será um post bem construído que oscilará entre 500 e 1500 palavras;
  • Um conteúdo demasiado longo – que será preferível dividir em várias partes para não desmotivar o seu leitor – será um post que terá mais de 1500 palavras;

Portanto, um conteúdo de 500 a 1500 palavras é a melhor opção para agradar o Google e os leitores do seu projeto. Escreva conteúdos entre este número de palavras e teste com os leitores; a longo prazo terá o tamanho perfeito para os conteúdos do seu blog!

Outros conselhos para ter um conteúdo impossível de ignorar

O tamanho de um conteúdo é importante e manter o número de palavras dentro dos limites aconselhados irá oferecer excelentes resultados ao seu projeto. No entanto, só este número de palavras, não é suficiente.

Comece por criar um título impossível de ignorar e que chame a atenção do seu leitor. A nossa dica é escolher uma média de 20 títulos para o seu conteúdo e, só depois, decidir qual o melhor para si.

Além do título, deve quebrar o texto através do uso de imagens. Use imagens cativantes e que transmitam a mensagem de forma clara. Estas imagens também podem ser usadas para partilha nas redes sociais.

Inserir links e botões de partilha no conteúdo também pode fazer toda a diferença. Esta inserção irá permitir um aumento do número de leitores por conteúdo e, consequentemente, um aumento do score de popularidade.

Conclusão

O conteúdo é uma peça fundamental num website e sem conteúdo, nenhuma ligação é criada com o leitor. Mas mesmo o conteúdo, para que seja criada uma boa ligação, deve ter os seus limites mínimos e máximos.

Sendo assim, ofereça conteúdo útil, de qualidade e que faça toda a diferença na vida do seu leitor. Esse conteúdo, para ter um tamanho ideal, deverá situar-se entre as 500 e as 1200/1500 palavras.

Ter em atenção este número de palavras – e outras dicas básicas para a criação de um conteúdo impossível de ser ignorado – irá promover a motivação que o seu leitor necessita para continuar a ler o seu post desde o início.

Ago 18

Projetar a versão mobile friendly do seu blog

By Sara Isabel | Criar blogs WordPress

Projetar a versão mobile friendly do seu blog

Planeia atualizar o seu blog para mobile friendly? Não? Então deixe que lhe digamos que o número de acessos, nos dias de hoje, através de dispositivos móveis, é cada vez maior. Inclusivamente, o número é superior ao número de acessos por desktop.

Sendo o número de acessos por dispositivos móveis superior, devemos possibilitar que o público leia e visite o seu blog de forma confortável e sem problemas, nesses dispositivos.

A realidade é que não sabemos se o próximo visitante vai aceder ao blog com um dispositivo móvel ou fixo, portanto devemos preparar-nos. Ter esse cuidado é indispensável.

Mas este não necessita ser um processo complicado ou na qual deve investir centenas de euros. Se não acredita, continue a leitura, vamos mostrar-lhe como criar um blog que permita tanto o uso fixo como móvel, sem problemas, erros ou conflitos.

Aviso: alguns artigos podem conter links de afiliados para produtos recomendados de acordo com a experiência de uso. Apenas recomendamos o que gostamos! A compra de produtos ou serviços pelos links de afiliados não ficará mais cara.

O que é um blog mobile friendly?

Antes de tudo, queremos que conheça a expressão “mobile friendly”. O que é um blog mobile friendly, afinal? É um blog que é acessível via desktop (computadores fixos ou portáteis) ou via mobile (smartphones e tablets), sem existirem conflitos, seja a nível de design, de conteúdo ou de plugins.

A navegação num dispositivo móvel é muito diferente da navegação num computador: os ecrãs são mais pequenos e é necessário apresentar sites ou blogs mais leves, porque os dispositivos móveis não têm a mesma velocidade e memória RAM dos computadores.

Mesmo com estas diferenças, é possível adaptar o nosso blog à navegação móvel muito facilmente. Hoje em dia ter um blog mobile friendly deve ser uma das prioridades número um, para garantir o conforto e adaptabilidade do visitante, porque não sabemos o que é que ele está a usar para visitar o nosso blog.

3 dicas para garantir uma experiência de usuário incrível

1. Testar o seu blog mobile friendly

Para adaptar o seu blog para uma versão mobile-friedly, deve, antes de mais, testar o seu blog em dispositivos móveis. Caso não tenha qualquer dispositivo para um teste imediato, pode testar a adaptabilidade em sites como o Screenfly ou o Responsinator.

É importante ter em atenção a compatibilidade com os diferentes tipos de modelo móvel, tablet e smartphone, visto que os tamanhos e tipos de ecrãs diferem de dispositivo para dispositivo.

Já nos aconteceu um website estar excelente no nosso smartphone e, quando passamos para outro dispositivo, o website deixou de estar compatível. Portanto garanta que tem o que necessita para que todos os leitores tenham uma excelente experiência.

2. Nunca esquecer o Google durante esta busca pelo mobile friendly

Desde abril de 2015 que a adaptabilidade móvel dos sites é um critério de referenciamento pelo Google. É importante, portanto, testar o seu blog via as ferramentas oficiais do Google para não comprometer a sua presença nos resultados do maior motor de busca do mercado.

Para isso, o Google facilita-nos a tarefa graças ao site Mobile Friendly oficial. Neste site é possível perceber se o seu blog é ou não é atualmente cem por cento adaptado à navegação móvel e se não for, a Google apresenta-nos os erros e problemas a corrigir para permitir que o seu blog seja acedido sem problemas ou impedimentos em qualquer dispositivo.

Não comprometa a reputação e divulgação do seu site por causa de não estar certificado mobile friendly!

3. Use fontes mobile friendly para o seu conteúdo

As fontes – letra usada – disponíveis de forma grátis pelo Google são aquelas que deve privilegiar na escrita do seu conteúdo e na apresentação de quaisquer tipos de texto do seu blog. Estas fontes são compatíveis obrigatoriamente com todos os browsers presentes em dispositivos móveis, não deixando assim lugar para conflitos ou erros de leitura.

Alguns websites que não se encontram dentro dos padrões de adaptabilidade costumam usar fontes mais complexas e, no dispositivo móvel, a fonte está muito longe do estilo encontrado ao longo do próprio blog. Isto porque, muitas vezes, a fonte é substituída por outra mais básica.

Ter as fontes em atenção irá manter a consistência do seu blog.

Projetar a versão mobile friendly do seu blog

3 formas de tornar o seu blog mobile friendly agora

Finalmente vamos passar à parte importante: tornar o blog compatível com dispositivos móveis. Para o fazer necessita de um blog que, em dispositivos móveis, fique aquém do que seria de esperar.

Teste as formas mencionadas acima para verificar a adaptabilidade do seu blog a dispositivos móveis. Pode, ainda, usar o seu próprio smartphone ou tablet para um teste rápido e imediato. Após esse teste, deve testar em outros dispositivos ou com as ferramentas acima.

1.Use Plugins em plataformas populares CMS

O WordPress, só por si, já é excelente em questões de adaptação, mas melhora com a possibilidade de instalar plugins próprios. Caso o seu blog tenha sido criado com o apoio do WordPress, instale um dos seguintes plugins.

JetPack: O JetPack para além de ser um plugin que permite mudanças extraordinárias no seu blog a nível de organização, performance ou divulgação, também tem uma opção que torna o seu tema automaticamente mobile-friendly. Para isso, basta instalar o plugin e ativar a opção “Mobile Theme” nas opções do plugin.

WordPress Mobile Pack: Este plugin permite fazer que o seu blog tenha um design e performance próxima a de uma aplicação móvel. É gratuito, muito fácil de usar e serve o propósito deste artigo.

WP Mobile Edition: O Mobile Edition converte o seu tema atual num tema móvel, sem grandes alterações de base. Para além de ficar com o mesmo visual que tem no seu blog via desktop, fica também com um blog bastante mais leve se acedido de forma móvel, fazendo a leitura e navegação mais confortável para o leitor.

2. Use um tema mobile friendly

Ao invés de instalar um plugin próprio para tornar o seu blog mobile friendly, pode apostar num tema que já ofereça essa versão. A maioria dos temas pagos de qualidade já são mobile friendly: tenha em atenção esse facto quando for comprar um novo tema, certificando-se dessa adaptabilidade.

Se procurar um tema gratuito que seja mobile friendly de base, essa pesquisa pode ser feita de forma bastante fácil no menu de procura do WordPress, selecionando o filtro de pesquisa referente a “Responsive Layout”.

3. Use um Design Responsive

Esta opção já carece de algum conhecimento técnico, porque envolve colocar alguns códigos suplementares nos ficheiros .css e .php do blog. É possível adaptar o design do seu blog ao mobile de forma relativamente rápida, graças a pequenos códigos que os developers chamam de media queries.

Caso pretenda investir nesta forma de transformação do seu blog em mobile friendly, não hesite em contactar-nos. Iremos ajudá-lo da melhor forma possível.

Conclusão

Mais de metade das entradas web são feitas através de dispositivos móveis. Ter um blog que responda a esse tipo de navegação sem problemas, lentidões ou conflitos é muito importante! É indispensável garantir o conforto do nosso visitante e apresentar um site com um design leve e bem-apresentado em ecrãs móveis.

Além das questões de adaptabilidade nos dispositivos móveis, deve também ter em atenção o seu próprio conteúdo. Crie um conteúdo simples, leve, de fácil navegação e que se encontre bem estruturado. Dessa forma o seu leitor terá uma leitura rápida do seu conteúdo.

E o seu blog, é mobile-friendly? Conte-nos nos comentários. Se ficaram dúvidas, entre em contacto connosco e nós iremos esclarecer as mesmas.

Jul 18

12 motivos fascinantes para usar wordpress no seu blog

By Sara Isabel | Dicas Online

12 motivos fascinantes para usar wordpress no seu blog

O WordPress é o CMS (Content Management System – Sistema de Gestão de Conteúdo) mais popular da Internet e quando começamos a usá-lo não nos é difícil de perceber o porquê!

Aviso: Este artigo contém links de afiliados para produtos recomendados de acordo com a experiência de uso. Apenas recomendamos o que gostamos! A compra de produtos ou serviços pelos links de afiliados não ficará mais caro.

No entanto, apesar da sua enorme popularidade e reconhecimento, muitos bloggers ainda têm algumas hesitações na altura de adoptar o WordPress como plataforma para o seu blog.

Se está nesta fase, perdido e sem saber que plataforma utilizar, deixamos-lhe não uma, não cinco, não dez mas DOZE motivos para usar o WordPress. E vai perceber rapidamente que não quererá outra coisa.

12 motivos fascinantes para usar wordpress no seu blog

1. Facilidade de uso

A plataforma do WordPress permite que a personalização, a escrita e a navegação sejam super simples, mesmo para alguém que nunca tenha usado a plataforma WordPress antes – ou outra qualquer plataforma de blogs!

Qualquer ferramenta ou opção são fáceis de encontrar graças a um painel de controlo simples, organizado e minimalista, onde nenhumas distrações ou inutilidades estão presentes.

Escrever um post ou uma página é também muito fácil: a plataforma é criada e feita para que o dono do blog só tenha uma preocupação: criar conteúdo e escrever! Escrever conteúdo resume-se a escrever numa janela onde temos botões visuais para adicionar estilos ou imagens, bem parecido como ferramentas que todos conhecemos, como o Word. Não terá que aprender uma nova linguagem ou estrutura de texto… só terá que escrever!

2. Personalização

Não precisa de saber HTML, CSS ou outras linguagens de programação para ter o blog que deseja no WordPress. Com alguns cliques, é possível instalar um tema e com mais um clique é possível adicionar inúmeras ferramentas e plugins que darão em alguns segundos um visual profissional ao seu blog.

Para além de todos os temas que encontrará na “loja” oficial do WordPress, acessível através do Painel de Controlo do seu blog, com uma simples procura no Google poderá encontrar diversos sites e lojas mais profissionais que disponibilizam outros temas, gratuitos ou pagos, para o seu WordPress. Também não é difícil encontrar prestadores de serviços que se disponibilizam para criar temas personalizados a cem por cento para o seu blog WordPress.

O WordPress e a personalização de blogs são um dos mercados digitais mais populares e rentáveis, visto que toda a gente quer ter o melhor visual e o visual que corresponde melhor à sua marca ou imagem pessoal.

3. Suporte

Os usuários WordPress formam entre si uma comunidade gigante, e é graças a ela que poderá, sem qualquer dificuldade ou espera, ter todas as respostas a qualquer dúvida que tenha. Para além dessa comunidade oficial, o facto de ser a plataforma mais utilizada faz do WordPress um dos assuntos mais recorrentes na internet, seja em tutoriais ou blogs especializados. Não terá dificuldade em encontrar, com uma rápida procura no Google, uma resposta ao que procura.

4. Pré-definido para ser genial!

O SEO e todas as características para fazer do seu blog popular e ser encontrado pelas pessoas já vêm pré-definidas pelo WordPress. Novamente, não precisa de ser um ás da programação para ter um blog profissional e ser encontrado nos motores de busca. O seu blog já está estruturado, programaticamente falando, para ser visto pelos robots da internet como um blog bem estruturado, que respeita o leitor e que publica conteúdo de qualidade. O facto de vir com características tão importantes pré-definidas faz com que possa criar um blog absolutamente genial em poucos minutos!

Dica: Com o WordPress é possível adicionar um plugin para melhorar, ainda mais, as questões de SEO.

5. Leitura confortável

O design e a estrutura interna de todos os temas de WordPress respeitam uma das principais características desta plataforma: a facilidade de leitura e conforto de navegação. Um blog WordPress será mais bonito e mais apelativo, pois é construído sob uma estrutura que respeita o conforto do leitor!

Sendo uma das plataformas mais utilizadas no mundo, o leitor recorrente de blogs já está normalmente habituado com a estrutura interna do WordPress, confiando mais em blogs que oferecem um design e estrutura de qualidade.

6. Milhares e milhares de plugins, aplicações e ferramentas adicionais

Plugins, aplicações, widgets, temas… as coisas que pode adicionar de forma simples e com apenas dois cliques são infinitas! Qualquer função que queira adicionar ao seu blog irá encontrar, de certeza, um plugin que o faça. Qualquer visual que queira para o seu blog, irá existir o tema perfeito. Existem plugins essenciais e outros opcionais e não precisa de passar muitas horas à procura daquele que procura: graças ao menu “Plugins” existente no seu painel de controlo, terá à sua disposição uma página de pesquisa simples e bem organizada!

7. Segurança acima de tudo!

O WordPress é uma plataforma que ao ser alojada na sua hospedagem privada tem uma segurança adicional, pois é SEU e não de um site ou empresa. Cabe a si (e ao provedor da sua hospedagem) em gerir diretamente todos os aspetos ligados à segurança, o que permite um controlo total de tudo o que acontece no seu blog, sem estar dependente de empresas ou gestores externos.

Mesmo com este “poder” quer mesmo assim reforçar a segurança do seu blog WordPress? Não se preocupe porque… adivinhou! Existem vários plugins que o podem ajudar a fazer isso!

12 motivos fascinantes para usar wordpress no seu blog

8. O Google GOSTA do WordPress

O Google referencia melhor os blogs provenientes da plataforma WordPress do que outros blogs provenientes de outras plataformas. Porquê? Porque o WordPress respeita padrões de qualidade e de respeito por leitores que mais nenhuma plataforma faz (tão bem, pelo menos)!

Estar presente nos resultados do Google é muito importante, pois está provado que atualmente é a maior fonte de visitas de sites e blogs, ultrapassando a publicidade. Se o seu objetivo é ter um blog que seja útil e que ofereça conteúdo comercial ou publicitário, esta característica do WordPress é essencial!

9. Facilidade de Instalação

Tal como a personalização ou a instalação de ferramentas, aplicações ou plugins, a instalação também é facílima. O processo de instalação do WordPress é conhecido até pelo “5 Minutes Install” (em Português: “Instalação em Cinco Minutos”), sendo que na realidade demora na maioria das vezes bem menos! Para além de ser rápida, é também muito fácil e bem explicativa. Não é preciso introduzir códigos ou dados técnicos.

10. Flexibilidade de utilização

Quer seja um blog pessoal, um blog profissional ou até um blog de venda online, o WordPress adapta-se a qualquer mercado e pessoa. Com a multiplicidade de temas disponibiveis para WordPress, será impossível não encontrar o tema que pode corresponder de forma perfeita ao seu negócio ou objetivo de blog.

Importante é também notar que os temas WordPress são, na sua grande maioria, adaptados a dispositivos móveis como smartphones ou tablets. O seu público poderá visitar o seu blog a partir de qualquer dispositivo. Os seus desejos tornam-se realidade com o WordPress: terá o blog que quiser, de forma rápida, fácil e grátis!

11. Atualizações

As atualizações do WordPress são constantes. Qualquer mudança que acontece na internet, em termos de SEO ou de plataformas de busca ou de browsers, o WordPress é uma das primeiras plataformas a adaptar-se a essas mudanças e a disponibilizar imediatamente atualizações a todos os blogs. Para além de ser avisado sempre que uma atualização está disponível, esta também se faz de uma foram muito simples: com um clique – literalmente! – terá o seu blog atualizado.

12. O preço? GRÁTIS!

O WordPress é open source, o que quer dizer que é completamente grátis! Ou seja, ter um blog profissional e que seja “a sua cara” não tem que custar milhões… nem um cêntimo! Existem dois sistemas de WordPress, um alojado no site wordpress.com e outro que pode fazer o download gratuito, sempre, mas que terá que instalar na sua hospedagem. Ambos são gratuitos, apesar de o primeiro disponibilizar um plano pago com opções adicionais.

No entanto, recomendo que use o CMS diretamente no seu domínio e hospedagem pessoal, para que possa usufruir de todas as características listadas neste post de forma gratuita e sem preocupações!

Conclusão: para terminar...

Com estas doze razões parece-me impossível que não tenha sucumbido ao charme, à qualidade e ao poder do WordPress. Não é mesmo por acaso que o WordPress é a plataforma de blogs mais utilizada no mundo. Qualquer blogger de prestigio usa, ou aconselha, o WordPress, pois une a facilidade e rapidez de uso com características profissionais e essenciais para qualquer pessoa que procura levar o seu blog e marca (seja pessoal ou profissional) para outro nível.

Eu uso o WordPress e recomendo de olhos fechados! Não consigo pensar numa ferramenta melhor para se lançar no mundo fascinante dos blogs!

Se tiver alguma dúvida adicional, não hesite em contactar-me e acompanhe as publicações do blog em que irei continuar a desvendar os mistérios e magias desta plataforma maravilhosa.

Jun 18

Aprender a comunicar eficazmente com os seus leitores

By Sara Isabel | Dicas Online

Aprender a comunicar eficazmente com os seus leitores

O primeiro erro cometido ao iniciar um blog é pensar que a finalidade do mesmo é vender ou convencer um determinado público-alvo a tomar uma ação. Essa é uma ideia errada. A verdadeira finalidade de um blog é comunicar e interagir.

Aviso: Este artigo contém links de afiliados para produtos recomendados de acordo com a experiência de uso. Apenas recomendamos o que gostamos! A compra de produtos ou serviços pelos links de afiliados não ficará mais caro.

E sendo que a comunicação e a interação são as características que não nos podemos esquecer quando criamos e montamos um blog, como fazer isso de forma correta e de forma a que o leitor não se sinta agredido nem manipulado?

Comunicar bem e eficazmente com os seus leitores é algo que vai ter que ir praticando, mas existem algumas dicas que pode seguir para chegar a essa perfeição mais rapidamente.

Descubra-as na listagem que se encontra de seguida.

​7 dicas para comunicar eficazmente com os seus leitores

1. Divirta-se a si e aos outros

A naturalidade no seu discurso tem que estar presente em tudo o que publicar no seu blog. Para isso, tem que gostar do que está a escrever. A menos que seja o melhor copywriter ou marketer de conteúdo, um discurso naturalmente fluído é um discurso divertido, desde o remetente até ao destinatário.

Portanto o melhor conselho que lhe posso dar é: DIVIRTA-SE! Pode parecer redutor como conselho, mas gostar do que está a falar e divertir-se com o que apresenta, fará com que o seu leitor se sinta seduzido e naturalmente à vontade no seu blog.

2. Precisão: saber o que diz e porquê

Saiba do que está a falar. Não apresente dados sem as fontes e sempre que falar de algo tenha a certeza que o assunto está bem explicado e está integrado no nicho do seu blog.
Explicar bem um assunto faz com que consiga atingir um público inexperiente e um público que já está mergulhado no tema e procura algumas precisões. Tenha realmente em mente que todo o conteúdo deve seguir a lógica “introdução - desenvolvimento – conclusão” para que exista, durante toda a informação, um fio condutor.
Para além da preocupação da exatidão da informação, publique conteúdo que esteja de acordo com o seu público. Nunca se esqueça do posicionamento que escolheu no momento de criação do seu blog: tem que ser esse o centro da sua preocupação na publicação de qualquer conteúdo.
Lembre-se sempre que o seu público procura algo específico: deve preencher as necessidades primárias do seu leitor.

Todo o conteúdo deve seguir a lógica “introdução - desenvolvimento – conclusão” - Kit Criar Blogs

Click to Tweet

3. Storytelling: bom ou mau?

Fala-se muito do poder do storytelling na produção de conteúdo online. O storytelling é nada mais, nada menos, do que falar de um tema contando uma história. Desta forma o conteúdo torna-se mais sedutor para o leitor, visto que ele mergulha mais facilmente na leitura.

Pense nos contos infantis e na presença da moral: a moral é o tema central do conto e para se explicar essa moral é contada toda uma história.

Usar técnicas de storytelling pode ser útil se pretender conquistar o seu leitor em relação a um produto ou ideia, sem querer ser direto ou demasiado violento.

Acabando por ser uma espécie de “manipulação criativa”, o storytelling não deve ser visto, no entanto, como algo negativo: passar conteúdo contando uma história é oferecer conteúdo rico e útil ao mesmo tempo que se entretem o leitor. Não é fácil, mas se o seu nicho for mais técnico e comercial, pode ser uma excelente ideia!

O storytelling, apesar de complexo para muitos criadores de conteúdo, é uma arte; como qualquer arte deve ser praticada. Se a criação de conteúdo com base no storytelling já for uma realidade para si mas procura a melhoria, analise conteúdos de outros criadores e aponte os pontos fortes e fracos de cada um.

4. Conheça o seu público

Já falei disso anteriormente mas acaba por ser o ponto mais importante para comunicar de forma precisa e clara com o seu leitor: precisa saber quem é o seu leitor, ou seja, com quem vai comunicar!

Conhecer o que leva o seu leitor ao seu blog – ou seja, por que meios, através de que palavras-chave ou conteúdos, entre outros – e o que o leva a ficar, faz com que possa apostar numa comunicação mais personalizada e direcionada para responder às necessidades e procuras do seu leitor.

Para isso, não hesite em utilizar aplicações de análise de dados – o Google Analytics é uma excelente opção – ou interagir de forma precisa com o seu leitor – colocando perguntas e inquéritos no final de cada post, na sidebar ou nas suas publicações em redes sociais.

Com as respostas obtidas, conclua onde deve investir os seus esforços.

Aprender a comunicar eficazmente com os seus leitores

5. Escreva da mesma forma que fala

Escrever como se fala é meio caminho para ter um conteúdo único e com personalidade; aliás, com a sua personalidade.

Faça a experiência: escolha um criador de conteúdo escrito que o inspire e que também publique no Youtube. Estude o conteúdo escrito e audiovisual. Ao fazê-lo encontra parecenças? Muitas vezes é possível encontrar uma ponte entre os dois conteúdos, seja por momentos sarcásticos, pela forma como as ideias são encadeadas ou, simplesmente, pelo uso de determinadas palavras.

O certo é que dá para associar ambos os conteúdos. E esse deve ser o seu objetivo enquanto criador de conteúdo.

6. Existe muito mais do que o conteúdo escrito

Sim, o conteúdo escrito é muito importante, tanto para manter um registo escrito e encadeado com os pontos principais, como para questões de posicionamento com o Google e outros motores de pesquisa. Mas esse, felizmente, não é o único tipo de conteúdo existente.

Além do conteúdo escrito, tem o conteúdo audiovisual – muito usado hoje em dia pelos famosos youtubers –, conteúdo visual – que, regra geral, é partilhado em redes sociais como o Instagram, o Pinterest ou o Tumblr –, conteúdo de áudio – como acontece nos podcasts – e muito mais.

Não necessita seguir o conteúdo escrito porque, supostamente, é o certo. Não tem de investir em conteúdo audiovisual porque os youtubers estão no auge. Apesar dos instagrammers também serem um fenómeno no momento, não precisa de usar conteúdo visual. Não existe uma fórmula certa.

Na atualidade o conteúdo é rei, mas não existe restrição a apenas um tipo de conteúdo. Deve descobrir qual encaixa com a sua personalidade e qual irá transmitir a sua mensagem eficazmente.

7. Criou o conteúdo? Mas espere, ainda não acabou!

Criar conteúdo é trabalhoso, não importa o tipo de conteúdo. Mais trabalhoso é a partilha de conteúdo no final pois essa partilha deve manter o tom e a personalidade do conteúdo.

Imagine que encontra uma publicação no Facebook muito divertida que o direciona para o conteúdo de um blog. Chegando ao conteúdo, o mesmo é muito sério, ou seja, o oposto da publicação inicial.

Isto trará dois problemas para quem fez a partilha: primeiro, não irá atrair o público certo para a publicação e segundo, o que atrair irá encerrar a página antes de acabar a leitura.

Dica: A partilha de conteúdo deve seguir o mesmo tom que o conteúdo em si.

Conclusão

Uma comunicação de qualidade e eficaz cria-se com a prática e a análise. Escreva e produza o máximo de conteúdo – não se esqueça, posicionado no seu nicho – e analise as reações dos seus leitores. Serão essas reações que possibilitarão a melhoria dos próximos conteúdos. E, claro, não se esqueça: divirta-se a cada momento da sua caminhada online!

Se ficaram dúvidas ou tem dicas para criadores de conteúdo, partilhe-as nos comentários. Ah, e já sabe, se gostou do conteúdo partilhe-o para que chegue ao maior número de pessoas interessadas.

1 2 3 5